domingo, 3 de janeiro de 2010

Diretor do IFF de Cabo Frio é exonerado*

Simone Barreto


        A disputa para o Conselho Superior do Instituto Federal Fluminense (IFF) continua gerando polêmica e chegou até Cabo Frio. O diretor geral do campus do IFF na cidade da Região dos Lagos, César Dias, foi exonerado no último dia 29 e, segundo ele, o motivo foi a desconfiança da reitoria de que ele teria feito campanha contra os candidatos da situação. A oposição venceu o grupo da atual reitora, Cibele Daher.
        Segundo César, a reitora já teria avisado verbalmente que irá exonerar os outros membros de sua equipe.
        — Ela disse que acredita que fiz campanha para a oposição, o que não aconteceu. O que houve é que muitos funcionários preferiram votar no campus Centro, da sede, pois a maioria dos nossos funcionários moram em Campos. Então a urna de Cabo Frio teve um numero pequeno de votos — falou o ex-diretor, que já foi diretor geral em Campos por oito anos.
        O presidente do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Tecnológica (Sinasefe), Paulo César Marques, o Caxinguelê, já havia denunciado que o processo eleitoral para o Conselho Superior foi viciado. Em relação a exoneração do diretor de Cabo Frio, o sindicalista disse que ainda vai colher mais informações sobre o caso.
        A reportagem tentou, mas não conseguiu entrar em contato ontem com a reitora.
        Formação — O Conselho Superior é formado por 18 pessoas, com poder de vetar e aprovar medidas importantes para a instituição.



*Matéria publicada no jornal Folha da Manhã no dia 03 de janeiro (disponível virtualmente no Folha da Manhã Online - para ter acesso às reportagens, é necessário fazer cadastro)



Um comentário:

  1. Tá parecendo Ditadura, é assim quem não apoia, é excluido... mais ou menos isso!
    Acho que vivemos em um país democrático, agora eu pergunto cadê a tal democracia numa hora dessas?
    Pessoal de campos frios continuem sua luta por essa causa justa, pelo meu ver não foi apresentado nenhum motivo para exoneração do diretor, vcs tem esse direito de lutar!
    Apoio Vcs

    ResponderExcluir




"Obriga-o a compor a mentira alheia para a usar como se fosse a própria verdade. Permeiam a nossa obediência, castigam a nossa inteligência e desalentam a nossa energia criadora. Somos opinados, mas não podemos ser opinadores. Temos direito ao eco, não à voz, e os que mandam elogiam o nosso talento de papagaios. Nós dizemos não: nós negamo-nos a aceitar esta mediocridade como destino.
Nós dizemos não ao medo. Não ao medo de dizer, ao medo de fazer, ao medo de ser. O colonialismo visível proíbe dizer, proíbe fazer, proíbe ser. O colonialismo invisível, mais eficaz, convence-nos de que não se pode dizer, não se pode fazer, não se pode ser. E neste estado de coisas, nós dizemos não à neutralidade da palavra humana. Dizemos não aos que nos convidam a lavar as mãos perante as quotidianas crucificações que ocorrem ao nosso redor. À aborrecida fascinação de uma arte fria, indiferente, contempladora do espelho, preferimos uma arte quente, que celebra a aventura humana no mundo e nela participa, uma arte irremediavelmente apaixonada e briguenta."

GALEANO, Eduardo, Nós Dizemos Não, Editora Revan, Brasil, 1990.