segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Falem bem ou falem mal...



Polêmica troca do comando do IFF em Cabo Frio*
Por Christiano Abreu Barbosa, em 09-01-2010 - 11h07


        A polêmica e inesperada intervenção da gestão do IFF em Cabo Frio tem tido desdobramentos a todo o dia. Cada lado dá a sua versão, mas parece claro que a mudança não foi planejada com antecedência e que teve origem política, o que é preocupante para uma instituição educacional da importância e envergadura do IF Fluminense.
        A exoneração do diretor César Dias por parte do comando sediado em Campos gerou uma série de manifestos virtuais na Internet por parte dos alunos do campus de Cabo Frio. O blog Tribuna Mequetrefe se colocou em estado de luto e o Sapientia também protestou.
        Veja matérias da Folha da Manhã sobre o assunto, ouvindo todas as partes envolvidas, em especial a reitora, Cibele Daher Monteiro, e o diretor destituído, César Dias. Leia abaixo a versão do Grêmio Estudantil e a versão oficial, publicada no site do IFF, e tire as suas próprias conclusões.


*Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário




"Obriga-o a compor a mentira alheia para a usar como se fosse a própria verdade. Permeiam a nossa obediência, castigam a nossa inteligência e desalentam a nossa energia criadora. Somos opinados, mas não podemos ser opinadores. Temos direito ao eco, não à voz, e os que mandam elogiam o nosso talento de papagaios. Nós dizemos não: nós negamo-nos a aceitar esta mediocridade como destino.
Nós dizemos não ao medo. Não ao medo de dizer, ao medo de fazer, ao medo de ser. O colonialismo visível proíbe dizer, proíbe fazer, proíbe ser. O colonialismo invisível, mais eficaz, convence-nos de que não se pode dizer, não se pode fazer, não se pode ser. E neste estado de coisas, nós dizemos não à neutralidade da palavra humana. Dizemos não aos que nos convidam a lavar as mãos perante as quotidianas crucificações que ocorrem ao nosso redor. À aborrecida fascinação de uma arte fria, indiferente, contempladora do espelho, preferimos uma arte quente, que celebra a aventura humana no mundo e nela participa, uma arte irremediavelmente apaixonada e briguenta."

GALEANO, Eduardo, Nós Dizemos Não, Editora Revan, Brasil, 1990.